Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Sondagem
Qual a sua área de modelismo preferida?
Militar aéreo
Militar terrestre
Militar naval
Civil aéreo
Civil terrestre
Civil naval
Ficção
Outro
Ver Resultados

Rating: 4.1/5 (2264 votos)

ONLINE
2




Partilhe esta Página



 

PARCERIA


Os administradores deste site aceitam propostas de parceria para análise.

 


  

EXPOSIÇÕES NACIONAIS


OS MEUS KITS

ÚLTIMO TRABALHO REALIZADO


MILITARIA

ÚLTIMO AVIÃO A HÉLICE INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Arado AR 64

Arado AR 64

 Arado AR 65

Arado AR 65

Heinkel He 70 (Blitz)

Heinkel He 70 (Blitz)

Dornier Do 17

Dornier Do 17

Heinkel He 50

Heinkel He 50

Heinkel He 111

Heinkel He 111

Henschel Hs 123

Henschel Hs 123


ÚLTIMO AVIÃO A REATOR INTRODUZIDO/ATUALIZADO 

British Aerospace Nimrod

British Aerospace Nimrod

De Havilland DH 106 Comet

De Havilland DH 106 Comet


ÚLTIMO HELICÓPTERO
INTRODUZIDO/ATUALIZADO

AgustaWestland EH-101 Merlin

AgustaWestland EH-101 Merlin


ÚLTIMO VEÍCULO SOBRE LAGARTAS INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Churchill tank

Churchill tank


ÚLTIMO VEÍCULO SOBRE RODAS INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Semilagarta M5

Semilagarta M5


 

AJUDE A  MANTER ESTE PROJETODonativos



Total de visitas: 252741
P&H - JUNKERS Ju 88
P&H - JUNKERS Ju 88

JUNKERS JU 88

- Avião bombardeiro / Bombardeiro de voo picado / Caça noturno - Alemanha (1939) -

Resumo Histórico Especificações Versões & Variantes Principais Utilizadores Historial Galeria Videos Profiles Fontes
Descrição Gerais
                   

Junkers Ju 88   Junkers Ju 88
Bundesarchiv, Bild 101I-363-2258-11 / Rompel / CC-BY-SA 3.0 [CC BY-SA 3.0 de], via Wikimedia Commons   Bundesarchiv, Bild 101I-417-1766-03A / Ellerbrock / CC-BY-SA 3.0 / CC BY-SA 3.0 DE

 


RESUMO HISTÓRICO


O Junkers Ju 88 foi um avião bimotor, de asa media, amplamente utilizado pela Luftwaffe durante a 2ª guerra mundial.

Muito provavelmente o Junkers Ju 88 foi o avião mais versátil da 2ª guerra mundial e devido aos constantes desenvolvimentos e atualizações que lhe foram implementadas conseguiu manter boas qualidades gerais até ao fim desse conflito até porque, na realidade, os alemães nunca conseguiram ter um avião verdadeiramente capaz de o substituir.

O Ju 88 foi inicialmente desenvolvido como bombardeiro, mas foram desenvolvidos imensos modelos deste aparelho dos quais se destacam o de avião de reconhecimento, o de caça noturno, o de torpedeiro e o de bombardeiro de voo picado (mergulho), sendo, neste caso equipados com um sistema automático de recuperação.

Já nos meses finais do III Reich, foi utilizado como míssil na versão “Mistel” e o desenvolvimento deste aparelho deu origem ao Junkers Ju 188.

 

Designação do aparelho

Esquema B&W


ESPECIFICAÇÕES


DESCRIÇÃO

País de origem Fabricante
Alemanha Junkers Flugzeug und Motorenwerke
Tipologia de missão / Função
Avião bombardeiro (Diurno e noturno) / Bombardeiro de voo picado / Caça noturno / Torpedeiro / Caça Pesado / Reconhecimento
Projeto antecedente Desenvolvido em
  Junkers Ju 188
voo Introduzido
21 de dezembro de 1936 1939
Período de produção Aposentado
1936 - ? 1951 (França)
Design Quantidade produzida
Ernst Zindel, W. H. Evers, and Alfred Gassner +/- 16 000 aparelhos
Custo unitário  
   
Período histórico
2ª guerra mundial

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Tripulação Comprimento Envergadura Altura
4 (A-4)
3 (G-1)
14,36 m (A-4)
15,50 m (G-1)
20,08 m (A-4/G-1) 5,07 m (A-4/G-1)
Superfície alar Peso vazio Peso máximo à descolagem Teto máximo
54.7 m(A-4/G-1) 9 081 Kg (G-1) 14 000 kg (A-4)
14 690 kg (G-1)
9 000 m (A-4)
Velocidade Máxima (Vno) Velocidade de cruzeiro Autonomia Autonomia máxima
510 km/h (A-4) Km/h   2 430 Km (A-4)
2 500 Km (G-1)
Regime de subida Carga alar Potência/Peso Alongamento
235 m/mim (A-4) Kg/m2 W/Kg  
Motorização
Junkers Ju 88 A-4
2 motores a pistão de doze cilindros invertido refrigerado a liquido Junkers Jumo 211J com 1 401 cv (1 040 kW) cada
Junkers Ju 88 G-1
2 motores a pistão BMW 801G-2 1 677 cv (1 250 kW) cada
Hélices
 
Armamento / Carga bélica
Junkers Ju 88 A-4
4 metralhadoras MG 81J de 7,92 mm + 1 metralhadora MG 81Z de 7,92 mm
1400 kg de bombas no interior + 500 kg de bombas em racks externos
Junkers Ju 88 G-1
4 canhões MG 151/20 de 20 mm para tiro frontal
1 ou 2 metralhadoras MG 131 de 13 mm para tiro traseiro

VARIANTES E VERSÕES


Ju 88 V1, V2, V3 e V4
Protótipos
Junkers Ju 88 A (A-1, A-2 e A-3)
Avião bombardeiro
Junkers Ju 88 A (A-4, A-5 e A-6)
Avião bombardeiro
Junkers Ju 88 A-11
Modelo tropical utilizado no norte de África e equipado com filtros de areia nas tomada de ar dos motores.
Junkers Ju 88 A-11
Bombardeiro capaz de transportar 3 000 Kg de bombas.
Junkers Ju 88 A-11
Avião torpedeiro
Junkers Ju 88 B
 Avião que esteve na base do desenvolvimento do Junker Ju 188.
Junkers Ju 88 C
Aviões transformados para caça noturnos
Junkers Ju 88 D
Aviões preparados para missões de reconhecimento
Junkers Ju 88 G
Avião de caça noturno
Junkers Ju 88 S
Avião bombardeiro
Junkers Ju 88 T
Avião de reconhecimento

PRINCIPAIS UTILIZADORES


País:  Alemanha

HISTORIAL


Ju 88 V1, V2, V3 e V4 - Protótipos

O Junkers Ju 88 foi projetado, por W. H. Evers e Alfred Gassner como um bombardeiro bimotor trilugar em resposta a um pedido do Ministério do Ar Alemão que exigia uma aparelho capaz de voar a 500 km/h e de transportar 800 kg de bombas. Eram especificações complicadas de atingir na época, pois nem a maioria dos caças então existentes atingia essas velocidades.

A Junkers apresentou-se a concurso com dois modelos, o Ju 85 e o Ju 88. Mas a concurso estavam também as marcas Henschel, com o protótipo Hs 127 e a Messerschmitt com o modelo Bf-162.

A Junkers ganhou o concurso com o seu modelo Ju 88 e o primeiro protótipo denominado Ju 88 V1 (matrícula D-AQEN) realizou o seu voo inaugural a 21 de dezembro de 1936. Era um avião monoplano totalmente metálico, com trem de aterragem retrátil e uma pequena mas funcional cabine que permitia uma boa visibilidade ao piloto. Estava equipado com dois motores Daimler-Benz DB 600 Aa de 1 000 cv e estranhos radiadores que lhe davam uma estranha aparência o que levou que os primeiros exemplares fossem apelidados de Dreifinger (Os três dedos).

O primeiro protótipo despenhou-se sem que os técnicos tivessem concluído os testes, mas o que estava realizado era promissor e a este primeiro protótipo seguiram-se mais dois aparelhos. O Junker 88 V3 foi equipado com dois motores Junkers Jumo 211A também de 1 000 cv mas que lhe permitia uma prestação superior comparativamente aos dois aparelhos anteriores com uma velocidade de 520 Km/h.

Seguiu-se um novo protótipo, o Ju 88 V4 no qual o cockpit foi completamente redesenhado e equipado com pequenas janelas, mas a característica mais interessante foi a instalação, pela primeira vez, de uma gondola ventral logo abaixo do nariz.

Mas durante toda a sua vida muitos outros protótipos foram construídos, na verdade mais de 100, de onde se percebe toda a grande versatilidade e versões que este incontornável ícone da 2ª guerra teve.

A série Ju 88 A deu origem a um total de 17 versões, e será sobre algumas delas que iremos falar de seguida.

Junkers JU 88 A (A-1, A-2 e A-3) - Avião bombardeiro

Junkers Ju 88 A-1

As primeiras versões de série, denominadas por Junkers Ju 88 A-1, possuíam boas performances gerais, uma razoável carga bélica e estavam equipadas com 2 motores Jumo 211B-1 de 1 200cv (895 kW).

No entanto, tinham um sério problema, a descolagem, sobretudo quando carregados de bombas, tinha que ser realizada sob as condições atmosféricas ideais, caso contrário, o avião poderia não conseguir descolar.

Junkers Ju 88 A-2

Para tentar resolver esse problema a versão seguinte, denominada Ju 88 A-2, foi equipada com motores Jumo 211 G-1 mais potentes, mas os problemas com a descolagem mantiveram-se.

Alguns aviões foram mesmo equipados com foguetes auxiliares que podiam ser acionados pelo piloto para ajudar na descolagem, mas essa opção mostrou-se bastante dispendiosa de aplicar a todos os aparelhos já fabricados.

Junkers Ju 88 A-3

A versão Ju 88 A-3 foi mais uma tentativa para ultrapassar este problema. Os aviões foram equipados com controles e aceleradores duplos, além de instalados vários instrumentos duplicados, mas, mais uma vez, não foi solução. Para além disso, o início da guerra veio a mostrar outra limitação, um inadequado armamento defensivo para fazer face ao ataque da aviação inimiga.

Junkers JU 88 A (A-4, A-5 e A-6) - Avião bombardeiro

Junkers Ju 88 A-4, A-5 e A-6

De forma a ultrapassar definitivamente o problema com as descolagens o avião sofreu alterações estruturais profundas. Foram equipados com motores mais potentes, os Jumo 211J e a envergadura foi aumentada com o alongamento das asas e o aumento do comprimento da fuselagem. O armamento foi melhorado assim como a proteção passiva da tripulação. Estas alterações levaram a que o trem de aterragem tivesse que ser reforçado para aguentar o aumento de peso.

Os problemas com as descolagens foram ultrapassados, mas os motores sobreaqueciam demasiado sobretudo em voos mais longos como os que agora eram feitos pois estava-se então em plena Batalha de Inglaterra.

Alguns dos Junkers Ju A-5 foram modificados a fim de poderem cortar os cabos que seguravam os balões de ar que os ingleses utilizavam como proteção adicional sobre alvos particularmente sensíveis. Para isso foram equipados com uma estrutura que protegia os motores e encaminhava os cabos para as pontas das asas onde existiam uns dispositivos que os cortavam. Os aviões não viravam com esta manobra pois iam carregados com pesados lastros que impediam isso. Os aviões assim modificados foram chamados de Junkers Ju A-6.

Junkers Ju 88 A-11 - Avião torpedeiro

Esta versão estava equipada com dois torpedos de 765 Kg e foi a ultima das 17 variantes que a versão A teve.

A série A, deu origem de seguida às series B, C, D, G, H, R, S e T e às suas respetivas variantes.

Junkers Ju 88 B

O desenvolvimento deste Junker levou mais tarde ao aparecimento de um novo avião. O Junker Ju 188.

O Junkers Ju 88 B efetuou o seu primeiro voo 1940. Era um aparelho com uma cabina maior e completamente envidraçada e estava equipado com dois potentes motores radiais BMW 801 MA de 1.600 cv, que lhe aumentavam as performances comparativamente aos aparelhos anteriores, mas era ainda um aparelho em fase de testes quando em 1942 foi assinado um novo contrato com a Junkers que requeria a entrega urgente de mais 8.000 aviões, e assim teve que ser relegado para segundo plano a fim de se conseguir fornecer os aparelhos encomendados. Só se fabricaram 10 exemplares.

Junkers Ju 88 C

Aparelhos transformados para caça noturnos. Com o avançar da guerra, a RAF começou a efetuar cada vez mais missões em território alemão. Sob a ordem direta de Hermann Goring alguns Junkers Ju 88 começaram a sofrer alterações a fim de poderem operar como caças noturnos. As primeiras versões de série foram denominadas de JU 88 C e começaram a operar em Julho de 1940. Basicamente as alterações dos primeiros aparelhos consistiam na eliminação da parte envidraçada da proa, a fim de serem instalados dos canhões MG FF de 20 mm e duas metralhadoras MG 17 de 7.9 mm. Estes aviões tornaram-se um dos mais eficazes nas missões para que tinham sido criados e no total, entre as diferentes variantes criadas, foram fabricados mais de 3 200 aparelhos.

Junkers Ju 88 C-4 e C-6

Entre as diferentes variantes, que diferiam umas das outras, tanto em motorização, como armamento ou radar merece algum destaque a Ju 88 C-4, pois foram aparelhos que sofreram um aumento de envergadura e proteção para as tripulações, tendo aparecido em 1941 e a Ju 88 C-6, que apareceu no final desse mesmo ano, mas estava equipado com 3 canhões de 20 mm e 3 metralhadoras. Era frequente este aparelho ter pintada uma falsa proa envidraçada, como um bombardeiro normal, para “disfarçar” a instalação dos mortíferos canhões dianteiros.

No entanto todo este equipamento pesado comprometia bastante a capacidade de manobra a baixa velocidade e este aparelho e conceito necessitava urgentemente de ser revisto, o que daria origem em 1943 à nova versão Ju 88 G

Junkers Ju 88 G - Avião de caça noturno

Estes aparelhos eram ainda maiores que os das versões anteriores e estavam equipados com dois motores radiais BMW 801D, mas a sua principal novidade, apesar de todas na melhorias e alterações introduzidas eram os seus quatro canhões MG 151 de 20 mm, instalados num contentor ventral e outros dois instalados no dorso da fuselagem, de forma que pudessem disparar para cima. Esta opção mostrou-se bastante eficaz no ataque a formações de bombardeiros, pois permitia atacá-los por baixo, onde as suas defesas eram mais parcas. No total, entre as diferentes variantes foram construídos cerca de 800 aparelhos.

Junkers Ju 88 S - Avião bombardeiro

Estes aparelhos eram destinados a missões de bombardeamento e apareceram em 1943. Foram fabricados em pequeno número mas eram extraordinariamente aerodinâmicos. Isso associado aos dois potentes motores BMW 801D de 1 700cv permitia-lhe velocidades de ponta superiores a 600 Km/h.

Junkers Ju 88 T - Avião de reconhecimento

Estes aparelhos eram derivados dos Junkers Ju 88 S e eram sobretudo utilizados para missões de reconhecimento por causa das suas elevadas prestações.


GALERIA


   

VIDEOS


   

PROFILES


   

INFORMAÇÃO ADICIONAL / FONTES


 Sites e Blogs
Wikipedia-Pt Wikipedia-Eng
   
 Bibliografia
 Aviões-TPM Aviões de guerra
Aviões - Tecnologia de ponta e mobilidade Aviões de Guerra

  


 Última atualização da página: 27/03/2020