Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Translate to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
Sondagem
Qual a sua área de modelismo preferida?
Militar aéreo
Militar terrestre
Militar naval
Civil aéreo
Civil terrestre
Civil naval
Ficção
Outro
Ver Resultados

  • Currently 4.05/5

Rating: 4.0/5 (2619 votos)

ONLINE
4




Partilhe esta Página



 

PARCERIA


Os administradores deste site aceitam propostas de parceria para análise.

 


  

EXPOSIÇÕES NACIONAIS


OS MEUS KITS

ÚLTIMOS TRABALHOS REALIZADOS

Jeep_Willys


MILITARIA

ÚLTIMO AVIÃO A HÉLICE INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Curtiss F9C Sparrowhawk

Curtiss F9C Sparrowhawk

Curtiss P-40 Warhawk

Curtiss P-40 Warhawk

Airco DH.1

Airco DH.1

Airco DH.2

Airco DH.2

Dornier Do 335 Pfeil

Dornier Do 335 Pfeil


ÚLTIMO AVIÃO A REATOR INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Convair F-106 Delta Dart

Convair F-106 Delta Dart

Dassault Super Etendard

Dassault Super Etendard

Dassault Rafale

Dassault Rafale

Dassault/Dornier Alpha-Jet

Dassault/Dornier Alpha-Jet


ÚLTIMO HELICÓPTERO
INTRODUZIDO/ATUALIZADO

AgustaWestland EH-101 Merlin

AgustaWestland EH-101 Merlin


ÚLTIMO VEÍCULO SOBRE LAGARTAS INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Churchill tank

Churchill tank


ÚLTIMO VEÍCULO SOBRE RODAS INTRODUZIDO/ATUALIZADO

Semilagarta M5

Semilagarta M5


 

AJUDE A  MANTER ESTE PROJETODonativos



Total de visitas: 309888
P&H - McDonnell Douglas F-4 Phantom II
P&H - McDonnell Douglas F-4 Phantom II

McDonnell Douglas F-4 Phantom II

- Avião de Caça-Bombardeiro - E.U.A. (1960) -

Resumo Histórico Especificações Versões & Variantes Principais Utilizadores Historial Galeria Videos Profiles Fontes
Descrição Gerais
                   

McDonnell Douglas F-4 Phantom II 

Link original: By U.S. Air Force photo by Staff Sgt. David Nolan (U.S. DefenseImagery photo VIRIN: DF-ST-87-07636) [Public domain], via Wikimedia Commons

   

RESUMO HISTÓRICO


O F-4 Phantom II é um caça-bombardeiro de alto desempenho, tripulado por dois elementos e capacitado para operar em todas as condições meteorológicas e de luminosidade. Desenvolvido originalmente durante a segunda metade da década de 1950 pela McDonell Douglas Corporation, mais tarde McDonnell Douglas e atual Boeing, entrou ao serviço da Marinha dos Estados Unidos no final de 1960.

Inicialmente desenvolvido para uso a bordo dos porta-aviões, como intercetor de longo alcance, providenciando a defesa aérea da frota, veio a demonstrar uma grande flexibilidade de desempenho, sendo também adotado pela Força Aérea, pelo Corpo de Fuzileiros e ainda por uma dezena de países aliados, revelando-se uma aeronave capaz de executar uma ampla gama de funções, desde a interceção até ao bombardeamento, passando pelo reconhecimento e pela guerra eletrónica, para o que foram desenvolvidas versões especificas. Em finais de 1979, quando a sua produção terminou tinham sido construídos 5 195 exemplares de todas as variantes, das quais 2 874 para a USAF, 1 264 para a Marinha e Marines e 1 057 para exportação, mantendo-se na atualidade ainda em atividade em algumas nações, após uma extensiva atualização.

Algumas aeronaves são relembradas pela enorme quantidade de unidades construídas, outras pelo elevado tempo de utilização em serviço, outras ainda pela fiabilidade no cumprimentos das suas missões. Mas quando um avião é reconhecido e lidera as três categorias referidas destaca-se entre os seus pares. Esse avião é o McDonnell Douglas F-4 Phantom.

 

Designação do aparelho

Esquema B&W


ESPECIFICAÇÕES


DESCRIÇÃO

País de origem Fabricante
E.U.A.  McDonnel Aircraft
McDonnel Douglas
Tipologia de missão / Função
Avião de Caça-Bombardeiro
Projeto antecedente Desenvolvido em
   
voo Introduzido
27 de maio de 1958 30 de dezembro de 1960
Período de produção Aposentado
1958 - 1981  
Design Quantidade produzida
  5 195 aparelhos
Custo unitário  
   
Período histórico
Guerra do Vietname

CARACTERÍSTICAS GERAIS

Tripulação Comprimento Envergadura Altura
F-4B - 2
F-4C - 2
F-4C - 2
F-4D - 2
F-4E - 2
F-4J - 2
F-4M - 
F-4B - 17.77 m
F-4C - 17.77 m
F-4C - 19,17 m
F-4D - 17.76 m
F-4E - 17.76 m
F-4J - 17.78 m
F-4M - 17.75 m
F-4B - 11.70 m
F-4C - 11.70 m
F-4C - 11.70 m
F-4D - 11.70 m
F-4E - 11.70 m
F-4J - 11.70 m
F-4M - 11.70 m
F-4B - 4.95 m
F-4C - 4.95 m
F-4C - 5,03 m
F-4D - 4.96 m
F-4E - 4.96 m
F-4J - 4.95 m
F-4M - 4.90 m
Superfície alar Peso vazio Peso máximo à descolagem Teto máximo
F-4B - 49.24 m2
F-4C - 49.24 m2
RF-4C -
F-4D - 49.24 m2
F-4E - 49.24 m2
F-4J -
F-4M -
F-4B - 12 700 kg
F-4C - 12 700 kg
RF-4C - 12 826 kg 
F-4D - 12 700 kg
F-4E - 12 700 kg
F-4J - 13 957 kg
F-4M - 14 061 kg
F-4B - 24 766 kg
F-4C - 26 308 kg
RF-4C - 26 308 kg
F-4D - 26 308 kg
F-4E - 26 308 kg
F-4J - 26 762 kg
F-4M - 25 402 kg
F-4B - 18 898 m
F-4C - 18 300 m
RF-4C - 18 105 m
F-4D - 18 300 m 
F-4E - 19 685 m
F-4J - 16 673 m
F-4M - 18 288 m
Velocidade Máxima (Vno) Velocidade de cruzeiro Autonomia Autonomia máxima
F-4B - 2 390 km/h
F-4C - 2 418 km/h
RF-4C - 2 348 km/h
F-4D - 2 414 km/h
F-4E - 2 390 km/h
F-4J - 2 549 km/h
F-4M - 2 231 km/h
 Km/h  Km F-4B - 3 701 km
F-4C - 2 817 km
RF-4C - 2 816 km
F-4D - 2 817km
F-4E - 2 817km
F-4J - 3 148 km 
F-4M - 2 816 km
Regime de subida Carga alar Potência/Peso Alongamento
 m/s Kg/m2 W/Kg  
Motorização
F-4B
2 reatores General Electric J79-GE-8A/-8B/-8C com 4 944 kgf (48 500 N) / 7 711 kgf (75 600 N) com pós combustão
F-4C
2 Turborreatores General Electric J79-GE-15, com 7 718 Kg de potência
RF-4C
2 reatores General Electric J79-GE-15 com 4 672 kgf (45 800 N) / 7 711 kgf (75 600 N) com pós combustão
F-4D
2 Turborreatores General Electric J79-GE-15, com 7 718 Kg de potência
F-4E
2 Turborreatores General Electric J79-GE-17, com 8 119 Kg de potência
F-4J
2 reatores General Electric J79-GE-8B/-8C/-10 com 4 944 kgf (48 500 N) / 8 119 kgf (79 600 N) com pós combustão
F-4M
2 reatores Roll-Royce Spey RB-168-25R Mk 202/203 com 5 556 kgf (54 500 N) / 9 305 kgf (91 300 N) com pós combustão
Armamento / Carga bélica
F-4B
4 misseis AIM-7 Sparrow III e 4AIM-9 Sidewinder, mais 7 257 kg de bombas e ou rockets
F-4C
4 mísseis AIM-7D Sparrow III guiados por iluminação radar, e 4 AIM-9B Sidewinder guiados por infravermelhos (ou em alternativa aos 4 AIM-9B Sidewinder, mais 2 AIM-7). 1 Canhão M-61 de 20 mm num módulo externo no eixo da fuselagem e 4 suportes até um máximo de 6 219 Kg para depósitos de combustível, bombas ou outras cargas
RF-4C
Deasrmado
F-4D
4 mísseis AIM-7D Sparrow III guiados por iluminação radar, e 4 AIM-9B Sidewinder guiados por infravermelhos (ou em alternativa aos 4 AIM-9B Sidewinder, mais 2 AIM-7). 1 Canhão M-61 de 20 mm num módulo externo no eixo da fuselagem e 4 suportes até um máximo de 6 219 Kg para depósitos de combustível, bombas ou outras cargas
F-4E
1 canhão rotativo M61A1 Vulcan de 20 mm. Na parte inferir da fuselagem: 4 mísseis AIM-7D Sparrow e outras arma até um máximo 1 370Kg. Nas asas: 2 mísseis AIM-7D Sparrow ou 4 AIM-9 Sidewinder ou depósitos, bombas ou outras cargas até um máximo de 5 888 Kg
F-4J
4 AIM-7 Sparrow III, mais 7,257 kg de misseis e ou bombas e ou rockets
F-4M
4 mísseis ar-ar British Aerospace Sky Flash, mais 7 257 kg de misseis e ou bombas e ou rockets

VARIANTES E VERSÕES


McDonnell Douglas F-4A
- Avião de treino - 

As versões iniciais encomendadas pela US Navy denominavam-se F-4H-1 e correspondem a 21 protótipos e 24 unidades de pré-produção para treino de tripulações da US Navy.

Relativamente ao aspeto exterior eram muito semelhantes aos protótipos YF4H-1 mas com os testes e avaliações foram sendo progressivamente modificados. Algumas das principais alterações estão relacionadas com a geometria das tomadas de ar pois os rebordos passaram a ser direitos, a rampa fixa foi substituída por uma dupla com capacidade basculante até 10 graus e foi instalado um sensor de infravermelhos na parte inferior do nariz. O Alojamento do radar passou de 61 para 84 cm de diâmetro para permitir a instalação do radar AN/APQ-72 em substituição do AN/APQ-50. O cockpit foi ainda elevado para permitir uma melhor visibilidade frontal.

Estes aparelhos em setembro de 1962 passaram a ser denominados de F-4A

Por não estarem de acordo com um único padrão de construção e terem como missão primária o treino de tripulações da US Navy os F-4A eram também designados TF-4A e prestaram serviço nos esquadrões de treino VF-101 e VF-121.

 
McDonnell Douglas F-4B
- Avião de Caça-Bombardeiro e Intercetor embarcado e avião de ataque todo-o-tempo -

O McDonnell Douglas F-4B foi a primeira versão construída em larga escala tendo sido fabricados 649 unidades. Realizou o seu primeiro voo em 27 de Março de 1961 e entrou ao serviço em outubro de 1961.

Os operadores foram a US Navy que o utilizou como intercetor embarcado e os Marines que o utilizou como avião de ataque.

Esta versão estava inicialmente equipada com o radar radar AN/APQ-72 mas este foi rapidamente substituído pelo melhorado AN/APQ-100. Estava ainda equipado com o sistema de bombardeamento de baixa altitude AN/AJB-3 principalmente para a utilização da bomba nuclear B61.

Estava equipado ainda equipado com o assento de ejecção Martin Baker Mk 7 no entanto entre os modelos da US Navy e da USAF existiam pequenas diferenças.

As primeiras missões reais de combate ocorrerem com estes aparelhos quando os aparelhos do Constellation tiveram que intervir durante o incidente do Golfo de Tonquim em agosto de 1964. Este incidente foi usado como pretexto pelo governo norte-americano para iniciar ações militares contra os norte-vietnamitas e marca o começo do envolvimento dos Estados Unidos na Guerra do Vietnam.

 
McDonnell Douglas F-4C
- Avião de ataque todo-o-tempo -

O McDonnell Douglas F-4C foi uma versão construída para a USAF após esta ter realizado alguns testes de comparação com os caças que entretanto utilizava e tendo chegado à conclusão que este era tinha um desempenho superior a todos eles, principalmente em termos de carga bélica e desempenho do radar.

Inicialmente foi encomendado sob a designação de F-100, mas posteriormente passou a designar-se F-4C e era muito idêntico na generalidade ao F-4B da US Navy apesar de ter turborreatores diferentes e comandos duais. Realizou o seu primeiro voo em 27 de maio de 1963 e entrou em serviço operacional em 20 de Novembro do mesmo ano, os dois últimos aviões foram entregues em Abril de 1966. Foram construídos um total de 583 exemplares.

Esta versão apresentou alguns problemas que comprometeram muito a sua operacionalidade nomeadamente a descobertas fugas de combustível nos tanques das asas, que tinham de ser selados após cada voo, problemas com um êmbolo de controlo da deriva dos ailerons o que levou à perda de 6 F-4C e um deficiente isolamento de alguns terminais elétricos.

Apesar disso 4 F-4C estabeleceram um recorde não oficial de endurance, quando aterraram na base da USAF de MacDill, no dia 2 de Dezembro de 1964, após um voo contínuo de 18 horas e percorridos quase 17 000 Km, necessitando de vários reabastecimentos em voo.

No final de 1973 dos 583 F-4C produzidos já só restavam 291, que começaram a ser transferidos para a Guarda Nacional

 
McDonnell Douglas RF-4C
- -
 
McDonnell Douglas F-4D
- Avião de ataque todo-o-tempo -

Entre os anos 1966 e 1968 foram construídos 793 exemplares desta versão para a USAF. A urgência da sua entrada em serviço levou a que herdasse a maioria dos defeitos do F-4C.

Esta versão foi bastante melhorada e tinha otimizada a capacidade para operações de bombardeamento já que estava equipada com o novo radar AN/APQ-109 que permitia um maior grau de precisão no lançamento de bombas. Foi-lhe adicionado mais um tanque de combustível e preparado para operar o míssil AIM-4 Falcon guiado por infravermelhos.

Tal como no F-4C esta versão só dispunha de canhão se este fosse instalado num módulo externo no eixo da fuselagem. Este facto não agradava aos pilotos, mas na realidade este problema só foi definitivamente resolvido na versão F-4E.

Um dos principais utilizadores externos desta versão foi o Irão o qual no âmbito do plano de modernização das suas forças armadas adquiriu 32 F-4D que tinham estado ao serviço da USAF. 

 
McDonnell Douglas F-4E
- Avião de ataque todo-o-tempo -

O McDonnell Douglas F-4E foi a principal versão utilizada pela USAF (1329 aparelhos) e também a mais exportada. Realizou o seu primeiro voo em 30 de junho de 1967 e tornou-se operacional a 3 de outubro desse mesmo ano. 

Esta versão surgiu no seguimento de uma diretiva do departamento de defesa dos Estados Unidos, que reconhecendo as limitações do F-4C e F-4D, pedia claramente um aumento da visibilidade traseira; o aumento da capacidade de operar em todas as condições meteorológicas; o aumento da capacidade de combate aéreo e o aumento da capacidade de operar a baixa altitude.

Surgiu assim o F-4E  e de entre as características mais evidentes que o diferenciam do antecessor destaca-se o canhão integral M61 Vulcan de 20 mm de múltiplos canos numa montado cobertura aerodinâmica sobre a secção inferior do nariz o que levou à instalação de mais uma célula de combustível, a sétima, na fuselagem traseira do aparelho para equilibrar o centro de gravidade, novos e ainda mais potentes motores, estabilizador ranhurado e a partir de 1972 foram instalados slats nos bordos de ataque das asas que permitiam aumentar a agilidade em voo e melhorar o desempenho na descolagem e aterragem. Foi ainda acrescentada a blindagem de algumas partes do avião para proteger alguns dos sistemas mais importantes.

Inicialmente pensou-se equipar esta versão com o APQ-109/CORDS (Coherent on Receive Doppler System), mas como este não ficou disponível a tempo a McDonnell Douglas optou pelo radar APQ-120 da Westinghouse. A nível da aviónica aa alterações mais importantes estão relacionadas com a instalação do ASX-1 TISEO (Sistema electro-óptico de identificação de alvos e o melhoramento da mira ASG-26.

Em 1973 a Força Aérea realizou a primeira modernização dos seus Phantom II através de um programa denominado Pave Spike.

 
McDonnell Douglas F-4J
- Avião de Caça-Bombardeiro -
 
McDonnell Douglas F-4M
- Avião de Caça-Bombardeiro -
 

PRINCIPAIS UTILIZADORES


País:  E.U.A.; Austrália; Egipto; Grécia; Irão; Israel; Japão; Espanha, Turquia e Reino Unido

HISTORIAL


Texto


GALERIA


   

VIDEOS


   

PROFILES


   

INFORMAÇÃO ADICIONAL / FONTES

 


 Sites e Blogs
Wikipedia-Pt Wikipedia-Eng    
       
 Bibliografia
Aviões de guerra Aviões-TPM
 Aviões de Guerra Aviões - Tecnologia de ponta e mobilidade Airfix Model World - Issue 01 - 12/2010 Airfix Model World - Issue 22 - 09/2012
Airfix Model World - Issue 62 - 01/2016 Airfix Model World - Issue 84 - 11/2017 Airfix Model World - Issue 96 - 11/2018 Model Airplane International - Issue 011 - 06/2006
 
Model Airplane International - Issue 70 - 05/2011 Model Airplane International - Issue 140 - 03/2017 Model Airplane International - Issue 158 - 09/2018  

  


 Última atualização da página: 31/10/2020